Pride Month: o que sua empresa está fazendo para tornar o ambiente corporativo mais seguro e inclusivo?

Por Amanda Diaz, diretora de cultura na keeggo

Muito se fala sobre inclusão e diversidade no mercado de trabalho, e uma companhia que tem essa preocupação trabalhada internamente mostra que tem a intenção de criar um ambiente corporativo de muito respeito. Em junho, temos a celebração do Mês do Orgulho LGBTQIAPN+; como seu RH tem trabalhado a diversidade entre os colaboradores?

Ter um quadro de funcionários plural pode parecer desafiador, mas é muito importante para a criação de um ambiente saudável para todo mundo. A diversidade por si só não faz com que todas as pessoas se aproximem naturalmente e, a princípio, o entrosamento e a adoção de políticas que promovam a integração podem não parecer tão naturais.

Porém, quando é dado o exemplo de que o respeito à individualidade pode ajudar na conexão entre todos, as atitudes gentis e o acolhimento às diferenças vão se enraizando na cultura das empresas. Com isso, o diálogo passa a acontecer de forma cada vez mais genuína.

Aqui na keeggo, gostamos de conversar sobre diversidade de forma sincera. Pensando no mês do Orgulho, nosso comitê permanente, o keepride+, voltado para integração do público LGBTQIAPN+, preparou ações especiais com foco em abrir ainda mais o diálogo nas equipes. Nosso maior objetivo é trazer a importância do acolhimento desse grupo, que muitas vezes não encontra apoio nem dentro de casa.

No primeiro trimestre de 2023, a keeggo realizou a ação “Vieses Inconscientes”, um treinamento interno proposto para os líderes e colaboradores com o objetivo de gerar um momento de reflexão, debate e entendimento sobre a importância da inclusão no ambiente de trabalho, ao apresentar a história e representação de grupos minorizados, para que haja compreensão e reconhecimento de preconceitos e estereótipos involuntários que interfiram nas relações interpessoais. Foi uma oportunidade para contribuir com a evolução pessoal de todos da empresa.

Após essa etapa, demos início aos treinamentos de Letramentos em relação a cada grupo minorizado (LGBTQIAPN+, PCD, Gênero e Racial), representados por nossos comitês de Diversidade. Nessa proposta, explicamos historicamente a existência e importância desses grupos, além de abordar pautas contra preconceitos e discriminações dentro e fora da organização.

Seguindo o que fizemos nos treinamentos de “Viesses Inconscientes” e nos Letramentos, para celebrar o orgulho LGBTQIAPN+, preparamos ações que se iniciaram no mês de maio, com o desenvolvimento de um vídeo para as redes sociais e informativos em nossas Newsletters internas contra a LGBTFobia. Essas ações devem seguir até junho, onde debateremos pautas do grupo e colocaremos pessoas trans em posição de destaque. Outras pautas abordadas serão a paternidade trans, Vivência Drag e Pansexualidade.

Pode parecer simples, mas, conforme as conversas entre os times se ampliam para temas mais sensíveis, nascem outras ideias para tornar a empresa um ambiente cada vez mais seguro. Como diretora de cultura, vejo que esses momentos precisam acontecer sempre que possível, não somente nas datas comemorativas.

Assim, a empresa reforça seu compromisso com a igualdade, sem levantar a bandeira apenas em momentos de oportunidade. Cabe também ao RH buscar talentos que complementem a companhia por meio de sua singularidade de vivências. Pela nossa experiência, temos a certeza de que um time diverso começa no processo seletivo.

Sabemos que não é fácil e que há um caminho longo a percorrer até que as empresas estejam prontas para serem ambientes 100% acolhedores e seguros a todos os trabalhadores, independente de suas particularidades. Mas acredito que, com muita conversa e respeito, vamos encontrar um caminho ideal. E que essa seja nossa missão para os próximos anos: respeito acima de tudo.